Resenhas

Awakening

Sacred Reich

8.5

É muito bom ouvir o retorno do Sacred Reich após 23 anos sem lançar material novo. O grupo é um dos grades injustiçados da cena headbanger, pois pela qualidade de todo seu material e retrospecto, merecia ter galgado um patamar mais alto no panteão das grandes bandas de thrash.

grupo, que havia lançado seu último disco em 1996, retorna revigorado. Com seu vocalista Phil Rind em ótima forma, assim como os solos do guitarrista Wiley Arnett acompanhando o alto nível de vibração e força das composições politicamente engajadas. Além disso, o retorno do baterista Dave McClain (ex-Machine Head) e o novo guitarrista Joey Radziwill dão o tom necessário para que tudo se encaixe perfeitamente.
Os pontos altos do álbum são as músicas “Awakening”, “Manifest Reality”, “Revolution” e “Divide and Conquer”, que em seus riffs e batidas lembram a “era de ouro” do thrash metal no início dos anos 1980, quando o “Big Four” (Anthrax, Megadeth, Metallica e Slayer) caminhava soberano sobre a Terra. Em todas as faixas é possível imaginar o mosh pit se formando nos shows, com a satisfação garantida de “bater cabeça” do começo ao fim.
Este é um disco que deve ser ouvido em volume máximo por muitas vezes seguidas, valeu a pena esperar tanto tempo.