Resenhas

Codex Omega

Septicflesh

9.5

Codex Omega, lançado em Setembro de 2017 pelos gregos do Septicflesh, é o décimo álbum "full-length" da carreira desta banda marcada pelo death metal sinfônico.

Spiros Antoniou lidera o paredão sonoro com seus grunhidos já caraterísticos, mas agora com um suporte orquestral, não decepcionando seus fãs. Um exemplo disso é a faixa de abertura ‘Dante’s Inferno’, inspirada no poema de Dante Alighieri, que recebe uma maior profundidade e dramaticidade graças ao suporte da Filarmônica da Cidade de Praga. Aliás, a orquestra é um ponto alto, que se destaca muito na execução de faixas como ‘Martyr’ e ‘Enemy of Truth’ que poderiam facilmente constar nas trilhas sonoras de qualquer filme épico, dado o peso atribuído por ela nestas músicas.
O que se nota logo de cara, é a excelente produção e composição. Há variações sonoras significativas, versos bombásticos e uma agressividade que tornam o álbum denso e poderoso. Nenhuma música soa fora de lugar, mesmo ouvindo-o de forma aleatória, fora da sequência em que foi concebido. Este é com certeza um dos lançamentos que deveria figurar entre os 10 melhores do gênero neste ano.

Faixas:

1 – Dante’s Inferno
2 – 3rd Testament
3 – Portrait of a Headless Man
4 – Martyr
5 – Enemy of Truth
6 – Dark Art
7 – Our Church Below the Sea
8 – Faceless Queen
9 – The Gospels of Fear
10 – Trinity
11 – Martyr of Truth (Bonus Track)
12 – Dark Testament (Bonus Track)
13 – Portrait of a Headless Man (Bonus Track)